top of page
choro-bandolim-fabio-peron.jpeg

Fábio Peron

/

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto

Um dos grandes expoentes da nova geração de músicos, começou a tocar aos 5 anos de idade. Formado pela Faculdade Santa Marcelina e pós-graduado pela Faccamp, dedica-se à composição, pesquisa e arranjo de vários períodos e estilos da música do mundo. Tem como instrumento principal o bandolim de 10 cordas, mas também tem fluência em outros instrumentos como o violão de 6 e 7 cordas e cavaquinho.

Em seu currículo, shows e gravações com nomes como Paulo Vanzolini, André Mehmari, Amilton Godoy, Arismar do Espírito Santo, Thiago Espírito Santo, Lea Freire, Silvia Goes, Naylor “Proveta” Azevedo, Mestrinho, entre muitos outros. Lançou seu primeiro CD em 2011, Fábio Peron em Boa Companhia. Em 2013 gravou Roupa Na Corda, com Arismar do Espírito Santo e Léa Freire.

No ano seguinte veio Alma de Músico, com Thiago Espirito Santo e Mestrinho do Acordeon. Em 2015, lançou seu segundo trabalho solo “Fábio Peron e a Confraria do Som”, que conta com as participações de Arismar do Espirito Santo, Thiago Espirito Santo, Izaías Bueno de Almeida, Alexandre Ribeiro, Ricardo Herz, Chico Pinheiro e Zé Barbeiro, entre outros. Em 2016 veio o terceiro, Afinidades, em trio ao lado de Zé Barbeiro e Danilo Silva. Em 2016 lançou com Gian Correa, Fernando Amaro e André Mehmari, o projeto Esmê, que tem músicas do chorão Esmeraldinho Sales e variações sobre sua obra.

Em 2018 gravou os álbuns “Folia de tReis”, ao lado de Toninho Ferragutti e Edu Ribeiro, indicado ao Grammy Latino, e, também, “Jacob 100 anos – Sentimento e Balanço”, ao lado de Joel Nascimento, Henrique Cazes e outros nomes do choro.

Duo

Alessandro Penezzi e Fábio Peron

Alessandro Penezzi (violão 7 cordas) e Fábio Peron (bandolim 10 cordas) lançam seu primeiro CD juntos. Contemplado pelo Proac/2020, o disco é formado por uma fina seleção de 10 choros e valsas autorais e inéditas. A apresentação é assinada por um dos expoentes do bandolim de 10 cordas no Brasil, Hamilton Holanda. Referindo-se a Jacob do Bandolim, Hamilton diz: “tenho certeza que o mestre do bandolim ficaria feliz ao ouvir Fábio Peron e Alessandro Penezzi” e mais adiante confidencia: é aquele tipo de disco que dá vontade de abrir uma cerveja e curtir como se essa sensação nunca fosse acabar”.

Com arranjos apenas para violão e bandolim, o disco conta uma história por meio de choros lentos, sambados, de andamento médio e de valsas, que trazem “o nosso jeito de fazer as coisas”, como dizem os artistas. E esse jeito inclui as homenagens a pessoas que admiram no universo musical, como Dominguinhos (lendário sanfoneiro e compositor) Pirajá (amigo luthier) e Miltinho (parceiro bandolinista e cavaquinista).

Fábio Peron Trio

Fábio Peron convida Danilo Silva e Rafael Toledo para compor seu novo trio.

Danilo, ao violão, traz um toque moderno: uma das facetas inconfundíveis do trio, que, somadas ao suingue das levadas ritmadas de Rafael Toledo, confluem numa sonoridade atual e cem por cento brasileira.

No repertório, composições de Peron, de Danilo e outras releituras de obras já consagradas de vários estilos da música brasileira como o choro, o samba, o forró e o frevo.

O público pode esperar um show de suingue contagiante, virtuosismo e sentimento, aliados em prol de um espetáculo singular capitaneado por Fábio Peron.


Show

lançamentos

500x500.jpeg
JOEL E PERON.jpeg
Captura de Tela 2023-03-30 às 17.07.15.png
Fabio-Peron-e-a-Confraria-do-Som-1024x1024.jpeg
EM BOA COMPANHIA.jpeg
bottom of page